05 dicas úteis para criar infográficos eficientes

0
41
views

Ao entendermos tecnologia como qualquer objeto, processo ou método concebido para auxiliar em uma tarefa, ou ainda nas palavras de William Brian Arthur, “um meio para cumprir um propósito humano”, podemos posicionar os infográficos como tecnologias cada vez mais necessárias em meio ao cenário sobrecarregado em que vivemos.

Essas construções são cada vez mais importantes, pois ampliam as habilidades e capacidades de sua audiência em compreender certos dados de forma sintética e interessante, ou seja, eles explicam muita coisa em poucas palavras.

Para cumprir esse objetivo, é importante que o infográfico organize os dados de maneira útil e com sentido claro para quem olha. Caso não haja relações e comparações entre os dados, essa ferramenta pode se tornar apenas uma bonita exibição de figuras.

Uma dica neste sentido é pensar nos infográficos como histórias contadas e construídas a partir de dados, e que essas histórias também precisam responder as perguntas do público que a consumirá, logo as escolhas de sua forma e conteúdo serão sempre condicionadas a objetivos além do puro prazer estético.

Além disso, é importante lembrar que por seu papel como ferramenta, o infográfico deve ser usado para cumprir tarefas específicas, e neste caso vale se perguntar para quais tarefas ele seria útil, ou ainda, quais respostas ele sanará no seu público consumidor.

Em suma, a estrutura básica dos infográficos é composta de apresentar, organizar, comparar e correlacionar dados se usando de informações gráficas, principalmente porque a representação visual é decodificada mais facilmente pela mente humana e pode ser apreendida mais rapidamente.

Aliás o processo de visualizar é bem mais rápido e demanda menos esforço do que ações cognitivas de abstração e lógica, por exemplo.

Para iniciar o processo de criação do infográfico, algumas dicas podem ajudar:

  1. Aprenda todo conteúdo possível sobre o assunto.
  2. Defina quais são os pontos principais do infográfico e qual será a história.
  3. Preveja o que o leitor irá tentar fazer com essa ferramenta e evidencie o que for mais importante para ele ou para a tarefa que ele irá realizar.
  4. Divida o conteúdo em pedaços menores e mais digestivos para o público-alvo, sem, contudo, perder a profundidade da informação a ser transmitida.
  5. Ordene, apresente, compare e correlacione esses dados de forma a criar uma narrativa instigante.

Além disso, algumas perguntas também podem ajudar na concepção do infográfico:

  • Que tipo de gráfico ou conjunto de gráficos serão necessários para apresentar as informações adequadamente?
  • Como extrair significado dos dados?
  • Que tipo de conteúdo (inclusive título, subtítulo, gráficos, desenhos e etc.), é necessário ser mantido para que a história seja clara?
  • Como contextualizar os dados?
  • Como será a navegação pelo infográfico e porque?
  • Existem outros conjuntos de dados que tornarão o infográfico mais interessante?

Essas dicas já ajudam no desenvolvimento inicial de infográficos, uma atividade muito interessante do design de informação, mas posteriormente irei apresentando mais conteúdo e dicas para trabalhar com a infografia.

Licença Creative Commons
Esta obra de Heller em Heller de Paula, foi licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Não Adaptada.

Referências
Alberto Cairo;

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here