Modelos para análise heurística: Três exemplos matadores

0
84
views
Modelos para análise heurística

Separei três modelos para análise heurística que são matadores para usar na elaboração de interfaces que venho usando na minha carreira.

Às vezes para avaliar um projeto ou mesmo para desenvolver algo novo nos falta algum parâmetro que nos indique como começar ou para onde ir.

Esses modelos ajudam muito nessa tarefa de análise ou mesmo para inspirar na hora da criação ou avaliação do nosso trabalho.

Esses modelos são:

Modelos para análise heurística: Pontos de análise baseados em usabilidade (Nielsen, 1994)

01. Visibilidade do estado do sistema (feedback);

02. Mapeamento entre o sistema e o mundo real (modelos mentais);

03. Liberdade e controle ao usuário;

04. Consistência e padrões;

05. Prevenção de erros;

06. Reconhecer ao invés de lembrar;

07. Flexibilidade e eficiência de uso;

08. Design estético e minimalista;

09. Suporte para o usuário reconhecer, diagnosticar e recuperar de erros;

10. Ajuda e documentação.

Modelos para análise heurística: Pontos de análise baseados em metas de usabilidade

01. Eficácia (Fazer o que se espera);

02. Eficiência (Auxiliar o usuário a fazer a tarefa);

03. Segurança (Proteção do usuário);

04. Aprendizagem (Fácil de aprender);

05. Memorização (Fácil de lembrar);

06. Utilidade (Melhor fazer com ele do que sem ele);

07. Interesses subjetivos (Divertido, agradável, útil, motivador, incentivador de criatividade, interessante e etc.).

Modelos para análise heurística: Pontos de análise baseados em critérios ergonômicos (Cybis, 2010)

1. Condução

1.1 Convite;
1.2 Legibilidade;
1.3 Feedback imediato;
1.4 Agrupamento e distinção (por formato e por localização);

2. Carga de trabalho

2.1 Densidade informacional;
2.2 Brevidade (concisão e ações minímas);

3. Controle explícito

3.1 Ações axplícitas;
3.2 Controle do usário;

4. Controle explícito

4.1 Flexibilidade;
4.2 Consideração da experiência do usuário (campo subjetivo);

5. Gestão de erros

5.1 Proteção contra erros;
5.2 Qualidade das mensagens de erros;
5.3 Correção dos erros;
5.4 Homogeneidade / Consistência;
5.5 Significado e códigos e denominações;
5.6 Compatibilidade;

Referências
CYBIS, Walter; BETIOL, Adriana Holtz e FAUST, Richard. Ergonomia e Usabilidade: Conhecimentos, Métodos e Aplicações. 2. ed. São Paulo: Novatec Editora Ltda., 2010.

Deway; D-Click;

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here