O papel do UX nas empresas e sua importância é debatido no UX Talks

2
326
views
O papel do UX nas empresas

O papel do UX nas empresas e sua importância para a gestão e criação de novos serviços é debatido durante o UX Talks, realizado em 16 de novembro de 2015.

O papel do UX nas empresas: O evento

O encontro foi uma nova oportunidade para revermos e falarmos sobre essa matéria, parte fundamental para a estratégia das empresas no atual cenário econômico.

Novamente pudemos ouvir dos palestrantes a importância de falarmos, pesquisarmos e construirmos juntos com o cliente melhores soluções para ele, para a empresa e para a sociedade como um todo.

O evento começou com Marcelo Morais, da Usuall, falando sobre pesquisa com o usuário. Em seguida foi a vez de Daniel Cachello do Itaú contar um pouco sobre sua própria experiência com UX dentro de um dos maiores bancos da América Latina.

Jill DaSilva, da Digital Karma e General Assembly, terminou o bate-papo falando sobre alguns resultados positivos que o UX pode trazer para as empresas e ainda mostrou seu próprio site como um case de análise com o usuário.

Algo muito presente no discurso do evento foi a ideia de que este é o momento de sair do campo do diálogo e ir para o campo da ação. Precisamos tornar realidade tudo que já aprendemos teoricamente, mesmo não sendo uma tarefa fácil.

Daniel Cachello, por exemplo, falou um pouco sobre a trajetória que o UX passa dentro das grandes empresas até se posicionar como uma atividade realmente estratégica, partindo de uma usabilidade hostilizada, com discursos como “não precisamos ouvir o cliente”, até se tornar parte fundamental da cultura corporativa.

Uma das suas provocações foi pensarmos como o UX pode atuar na estratégia, no tático e no operacional da empresa.

Para ampliar o valor da matéria, ele ressaltou a importância da priorização por ações de alto impacto que gere resultados possíveis de serem exemplificados e facilmente demonstrados.

Dentro do banco, por exemplo, eles trabalham com quatro grandes áreas: Estratégia, Pesquisa, Interação e Conteúdo. Todas elas trabalhando de forma iterativa e sempre tendo como base a necessidade do cliente.

Essa necessidade se torna a estratégia e, a partir dela, os diálogos internos seguem para questões técnicas com as equipes de desenvolvimento e depois para a parte de AI.

Dentro do mapeamento do serviço, também é importante entender quando, como e onde as pessoas pensam sobre aquele serviço, por exemplo, quando, como e onde eu penso sobre dinheiro.

Também ter sempre em mente que os produtos são pontos de contato para o cliente consumir o serviço, portanto, os aplicativos, o site e mesmo as agências são meios que permitem os clientes a acessarem os serviço financeiro que a companhia oferece, devendo sempre funcionarem de forma coesa.

Jill DaSilva, por sua vez, relembrou como a tecnologia deve servir a experiência e nunca o contrário.

Ela também elencou três importantes realizações que o UX pode trazer: Economizar tempo e dinheiro; Melhorar os KPIs e Aumentar a receita. Tudo isso entendendo melhor e se adaptando as necessidades e limitações do cliente final.

Foi uma tarde realmente motivadora, da qual sai com várias anotações sobre ações a serem executadas dentro da minha rotina profissional.

Referências
UXTourBR; Escola do Design Thinking; Jill DaSilva;

2 COMENTÁRIOS

  1. Olá Heller, ótimo resumo.

    Sou da organização do evento UXTourBR, posso compartilhar em nossa página no FB?

    abraço

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here